quarta-feira, 13 de fevereiro de 2019

COMO DEVEM SER NOSSAS ORAÇÕES – ENSINA-NOS SÃO TOMÁS



Oração Dominical, entre todas, é a oração por excelência, pois possui as cinco qualidades requeridas para qualquer oração. A oração deve ser: confiante, reta, ordenada, devota e humilde.

Em primeiro lugar, a oração deve ser confiante.

Como São Paulo escreve aos Hebreus (4, 16): “Aproximemo-nos com confiança do trono da graça, a fim de alcançar a misericórdia e achar graça para sermos socorridos no tempo oportuno”.
A oração deve ser feita com fé e sem hesitação, segundo São Tiago (Tg 1,6): “Se algum de vós necessita de 
sabedoria, peça-a a Deus… Mas peça-a com fé e sem hesitação”.
Por diversas razões, o Pai Nosso é a mais segura e confiante das orações. A Oração Dominical é obra de nosso advogado, do mais sábio dos pedintes, do possuidor de todos os tesouros de sabedoria (cf. Cl 2, 3), daquele de quem diz São João (I, 2, 1): Temos um advogado junto ao pai: Jesus Cristo, o Justo. São Cipriano escreveu em seu Tratado da Oração Dominical: “Já que temos o Cristo como advogado junto ao Pai, por nossos pecados, em nossos pedidos de perdão, por nossas faltas, apresentemos em nosso favor, as palavras de nosso advogado”.
Oração Dominical parece-nos também que deve ser a mais ouvida porque aquele que com o Pai a escuta é o mesmo que no-la ensinou; como afirma o Salmo 90 (15): “Ele clamará por mim e eu o escutarei”“É rezar uma prece amiga, familiar e piedosa dirigir-se ao Senhor com suas próprias palavras”, diz São Cipriano. Nunca se deixa de tirar algum fruto desta oração que, segundo Santo Agostinho, apaga os pecados veniais.

terça-feira, 12 de fevereiro de 2019

Regulamento de Vida para uma pessoa se santificar no meio do mundo

Extraído e adaptado das obras de Santo Afonso Maria de Ligório

De manhã:
1) Levantar-se a uma hora certa, como por exemplo, às 5 horas ou às 5:30, e nunca alterar a hora sem causa justa;
2) Oferecer, logo que acordar, o coração a Deus, fazer o sinal da cruz e vestir-se prontamente e com modéstia; depois rezar de joelhos três Ave-Marias em honra do Coração Imaculado da Santíssima Virgem Maria para obter uma grande pureza de coração, de corpo e espírito;
3) Fazer a oração e meditação da manhã durante meia hora, ou ao menos por espaço de um quarto de hora.
4) Assistir à Santa Missa todas as vezes que puder.

Durante o Dia:
5) Fazer pelo menos um quarto de hora de leitura espiritual;
6) Recitar o terço meditando em seus mistérios, sendo possível reze-o em família;
7) Fazer a visita ao Santíssimo Sacramento e à Santíssima Virgem, na Igreja caso possível;
     N.B. Para estes três exercícios, se fixa a hora em que as ocupações de cada um permita:

domingo, 27 de janeiro de 2019

Rezar no muro das lamentações é negar que Jesus seja o Messias


O muro das lamentações é o resto da coluna do segundo templo de Jerusalém, que foi destruída pelos romanos no ano 70 d.C. A destruição do templo sempre foi entendida pelos católicos como o sinal do juízo de Deus sobre os judeus.

 A destruição do templo impediu os judeus de oferecerem o sacrifício, o que significa que a sua religião hav
ia chegado ao fim. A destruição do Templo foi um sinal para os judeus de que o messias tinha vindo, e a antiga religião havia sido substituída pela Igreja Católica.

Rezar no muro das lamentações é negar que o messias veio, e, que ainda, espera-se oferecer os sacrifícios e rituais do antigo testamento, negando o sacrifício de Jesus Cristo.

quinta-feira, 10 de janeiro de 2019

"Ao entardecer da vida serás examinado no amor" São João da Cruz


São João da Cruz, confessor e doutor da Igreja, foi o responsável pela reforma da Ordem Carmelita, juntamente com S. Teresa de Ávila e é considerado um dos maiores místicos de sempre. A Igreja diz que seu o zelo e o sucesso dos seus esforços causaram-lhe provações humilhantes, que lhe ensinaram a subir, dentro da “noite escura”, até à experiência mística do “nada” do homem diante da Majestade Divina. 

Algumas frases da sua autoria:

"A mosca que pousa no mel não pode voar; a alma que fica presa ao sabor do prazer, sente-se impedida na sua liberdade e contemplação."

"O mais leve movimento duma alma animada de puro amor é mais proveitoso à Igreja do que todas as demais obras reunidas."

quarta-feira, 9 de janeiro de 2019

Bênção das casas depois da Epifania



A Epifania, que significa manifestação, é uma das solenidades mais importantes do ano litúrgico. Neste dia a Igreja celebra as manifestações divinas de Jesus, em particular a adoração dos Reis Magos, o baptismo de Jesus no rio Jordão e o primeiro milagre público de Jesus, nas bodas de Caná.

A esta Solenidade desde muito cedo se associou o louvável costume de abençoar ouro, incenso e mirra, e giz. Este último é usado para abençoar a casa dos fiéis. No ritual da bênção marca-se, por cima da porta da casa, do lado exterior, a seguinte inscrição com giz abençoado: 20+C+M+B+19.

O 20 e o 19 representam 2019, o ano em que nos encontramos. O “C M B” representam “Christus Mansionem Benedicat” – Cristo Abençoe esta Casa, e cada letra é intercalada com uma cruz.

A sigla CMB significa também o nome dos 3 Reis Magos: Gaspar, Melchior e Baltasar.

Bênção do Giz

V. Adiutorium nostrum in nomine Domini.
R. Qui fecit caelum et terram.

V. Dominus vobiscum. 
R. Et cum spiritu tuo. 

Bene+dic, Domine Deus, creaturam istam cretae: ut sit salutaris humano generi; et praesta per invocationem nominis tui sanctissimi, ut, quicumque ex ea sumpserint, vel ea in domus suae portis scripserint nomina sanctorum tuorum Gasparis, Melchioris et Baltassar, per eorum intercessionem et merita, corporis sanitatem, et animae tutelam, percipiant. Per Christum Dominum nostrum. R. Amen 

No final da bênção, faz-se a inscrição do texto na parte superior das portas: 20+C+M+B+19.

Fonte: 
http://senzapagare.blogspot.com